Tem aquele ditado antigo que diz: “dinheiro não traz felicidade, mas que ajudaajuda”.

Podemos dizer que esse ditado tem certa sabedoria. Uma pesquisa americana chamada “The Employer’s Guide to Financial Wellness” (em português livre, quer dizer: O Guia do Empregador para o Bem-Estar Financeiro) diz que pessoas assombradas por problemas financeiros tem 4 vezes mais chance de ter depressão e 3,4 vezes mais chances de desenvolver ataques de pânico e depressão. Não é pouca coisa.

No Brasil, o SPC (Sistema de Proteção ao Crédito) fez uma pesquisa onde aponta que 69% dos inadimplentes apresentam quadro de ansiedade e outros distúrbios, por não conseguirem resolver dívidas. 

Considerando este contexto, o distúrbio pode se agravar, virando uma bola de neve. Por exemplo, quem canaliza a ansiedade em compras, passa a comprar mais, elevando o endividamento.

Dívidas e descontroles com o dinheiro separam famílias, prejudicam a relação entre pais e filhos, criam um ambiente de discórdia e desconfiança.

O primeiro passo para evitar esse tipo de situação é ter consciência da situação e identificar os ralos financeiros. A partir dessa análise, é necessário pensar em alternativas para fechar a torneira e equilibrar, da melhor forma possível, suas entradas e saídas de dinheiro. Para isso, algumas perguntas são fundamentais:

  1. Onde efetivamente estão os excessos?
  2. Onde e como posso reduzir custos?
  3. Quais minhas dívidas mais impactantes e como negociá-las?
  4. Quais são as etapas para zerar minhas dívidas?
  5. Qual meu prazo (em meses) para saldar minhas dívidas?
  6. Como adequar este planejamento de forma que caiba no meu bolso?

É importante reunir a família, abrir o jogo sobre a situação e desafiá-los a ajudar nesse esforço coletivo. Com foco, disciplina e esse simples planejamento, é possível deixar as dívidas no passado e, desta forma, diminuir o risco de doenças associadas ás dificuldades financeiras.

Também é fundamental que haja acompanhamento de um profissional especializado em saúde mental. A adoção deste suporte tende a diminuir o sofrimento e a ampliar o conhecimento sobre as possíveis soluções.

Com o tempo, a motivação e a visão clara dos resultados positivos, serão as maiores provas do seu esforço.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.